Dia dos Avós: saiba como agir com os idosos durante a pandemia da Covid-19

0

Os idosos fazem parte do grupo que mais corre risco de desenvolver complicações do novo coronavírus e a orientação é de que eles fiquem isolados.

Ontem (26.07) foi comemorado o Dia dos Avós e nós queremos ajudar você a deixar os dias dessas pessoas tão queridas mais leves durante a pandemia.

Foto: Ascom

Em Conceição do Araguaia a Prefeitura, através do Centro de Convivência do Idoso (CCI) atende cerca de 140 pessoas cadastradas. Neste local, eles recebem atenção  e também realizam atividades como jogos, danças, palestras e passeios, além de cuidados com a saúde, como a realização de exame da glicose, atendimento médico e psicológico.

Com a pandemia, as atividades no local foram suspensas, no entanto, o CCI continua dando suporte aos idosos atendidos.

“Fazemos visitas rápidas e tomamos todos os cuidados necessários. Levamos alimentação para os mais carentes e kits com materiais de higiene e limpeza. Desta forma, nós tentamos amenizar o momento que é muito difícil pra eles e tentamos sempre explicar que é uma fase e que tudo isso vai passar”, explica a pastora Cida Barros, coordenadora do CCI.

Maria Joana tem 63 anos e está entre os idosos atendidos pelo CCI. “Sou avó de nove netos e um bisneto e faço parte das atividades do CCI. Não está sendo fácil com essa pandemia, porque não podemos nem receber visitas. Sinto muita falta de comparecer ao CCI, já que lá, somos cuidados, amados e respeitados. Espero voltar logo às atividades para termos aquela alegria de sempre!”, diz Maria Joana.

Como tornar esse momento mais leve?

A psicóloga do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Conceição do Araguaia, Heliana da Silva Oliveira ressalta que, cuidar de idosos é um ato de amor. “Neste momento de vulnerabilidade, é importante que a família use a criatividade para que o idoso permaneça ativo no período de isolamento”, explica a psicóloga.

A seguir, confira quatro dicas da profissional para manter os dias menos estressantes e com mais alegria, tanto para os idosos, quanto para quem convive com eles:

  • Manter a comunicação: converse com o idoso, dê atenção, mesmo que isso ocorra através de ligações telefônicas e vídeochamadas. Tire um momento para se dedicar, perguntar como ele se sente e ouvir suas histórias. Essa é uma forma de manter contato com o mundo exterior, para que ele não se sinta tão solitário.
  • Mantê-lo ativo: aproveite as habilidades do idoso para mantê-lo ocupado. Seja nas atividades domésticas, cozinhando pratos especiais, costurando, colocando a mesa, cuidando de um animal, do jardim, enfim, fazendo com que ele participe da rotina da casa e se sinta útil. Isso também vale para as atividades físicas. Lembre-se de incentivá-lo de fazer pequenas caminhadas dentro de casa mesmo, no corredor, no quintal, de um cômodo pra outro.
  • Atividades religiosas: é importante fazer com que as pessoas que tenham uma religião continuem mantendo suas atividades religiosas e isso é possível por meio de programas de televisão ou pela Internet.
  • Atividades prazerosas: os familiares ou responsáveis podem incentivar os idosos a continuarem com as atividades prazerosas, como crochê, pintura, leitura, música e filmes. É interessante que eles passem por esses momentos de bem estar mental.

As famílias que se dividem entre a saudade e o dever de preservar a vida dos mais velhos podem tomar pequenas iniciativas diárias, sempre se lembrando de atender às recomendações dos especialistas de evitar visitas e contato próximo.

COMPARTILHAR:
Compartilhar:

Os comentários estão fechados.


Acessibilidade
Acessibilidade